EasyJet vai cobrar pela bagagem de mão colocada nos cacifos acima dos assentos

A companhia aérea EasyJet vai reduzir a sua franquia de bagagem de bordo a partir de 10 de fevereiro do próximo ano. É uma medida que levará mais pessoas a pagar para escolher o seu lugar ou despachar uma bagagem no porão.

As novas regras determinam que todos os passageiros, neste caso os que pagam tarifas mais baixas, vão poder viajar com um pequeno saco, mas este tem de caber sob o banco da frente (tendo até 45 x 36 x 20 centímetros).

Apenas aqueles que paguem por um lugar Up front ou com espaço extra para as pernas (Extra Legroom) poderão levar um saco maior para levar no compartimento superior. Estes lugares podem ser selecionados no momento da reserva ou posteriormente, através da Gestão da Reserva ou do Apoio ao Cliente.

Publicidade

Atualmente, os passageiros podem voar com uma mala de cabine gratuitamente desde que cumpra as dimensões máximas, mas a partir de fevereiro quem pretende viajar com com uma mala na cabine maior terá de pagar uma taxa extra. Os preços ficam aproximadamente oito euros mais caros do que a tarifa normal, e até cerca de 33 euros mais caros em voos mais longos.

A EasyJet garante que as novas regras de bagagem serão boas para os clientes, ao melhorar a pontualidade e segurança.

Publicidade
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email
Share on pinterest

Outros Artigos