O Conselho federal iniciou consultas sobre a segunda fase da flexibilização, que inclui bares e restaurantes, apesar da situação “precária” da Covid-19. Uma decisão final será tomada no dia 19 de Março.

Se a situação epidemiológica permitir, o Governo pretende possibilitar eventos com espectadores (com restrições), assim como reuniões em casa envolvendo até dez pessoas, e atividades esportivas e culturais em grupos de até 15 pessoas a partir do dia 22 de Março. Bares e restaurantes seriam autorizados a abrir as áreas ao ar livre sob condições rigorosas.

Eventos externos como jogos de futebol e concertos com público de até 150 pessoas também seriam permitidos, enquanto que salas de cinemas e teatros poderão receber até 50 participantes, disse o governo. O ensino presencial em instituições universitárias seria permitido mais uma vez, de forma limitada.

O Conselho Federal será guiado em sua decisão por quatro indicadores principais estabelecidos anteriormente. Entretanto, os valores para três deles já passaram dos limites, advertiu o governo.

Resumo das propostas

  • Reabertura dos terraços de bares e restaurantes, com um máximo de 4 pessoas por mesa e recolha de dados de cada um deles (e já não uma pessoa por mesa);
  • Reabertura de cinemas, teatros, salas de concerto, com um máximo de 50 espectadores (e um terço da capacidade), sentados, com máscara, com um lugar vazio entre cada um;
  • Autorização de eventos ao ar livre (concertos, jogos de futebol, etc.), com um máximo de 150 espectadores
  • Reabertura dos ginásios, mas não de piscinas ou spas;
  • Reuniões, em áreas interiores privadas, permitidas até 10 pessoas;
  • Desportos amadores permitidos até 15 pessoas, mas a proibição de competições permanece em vigor.