Covid-19: Suíça vai testar aplicação de rastreamento

(Keystone / Laurent Gillieron)
(Keystone / Laurent Gillieron)

Reunido ao longo desta semana em sessão extraordinária, o Parlamento contrariou, para já, a proposta do Conselho federal, indicando que a aplicação, que permitirá localizar os contactos de pessoas infetadas pelo novo coronavírus, não poderá ser lançada sem uma base legal.

Fase-piloto

A fase de ensaio, que decorrerá até ao final do mês, será limitada “a um certo tipo de população”, explicou o ministro da Saúde, Alain Berset, na conferência de imprensa desta sexta-feira. Durante esse período o Governo irá aprovar as bases legais necessárias para poder lançar a aplicação, que serão posteriormente submetidas ao Parlamento também até o fim do mês de maio.

Até ao momento, a aplicação já foi testada pela tropa suíça. O Conselheiro federal espera que as duas Câmaras do Parlamento possam aprovar “rapidamente” o processo. “Se o Parlamento disser não, será o fim” da aplicação de rastreamento encriptado, que está a ser desenvolvida pelas Escolas Politécnicas Federais (EPFL e EPFZ) e pela Confederação, acrescentou. Alain Berset apelou também aos “piratas informáticos” para que testem a solidez da aplicação, nomeadamente na questão da proteção de dados.

Se a aplicação, denominada “DP-3T”, for autorizada pelo Parlamento, o seu uso será facultativo e nenhum dado pessoal ou informação de localização dos seus utilizadores será explorada, garantiu o ministro suíço, referindo igualmente, que todos os dados serão sistematicamente apagados ao fim de 21 dias.

Publicidade

Funcionamento

Marcel Salathé, Professor na Escola Politécnica Federal de Lausana (EPFL), explicou como a aplicação irá funcionar: “Esta funcionará através de um protocolo bluetooth que possui parâmetros que permitem avaliar as distâncias. É um modelo descentralizado, o que significa que os dados ficam nos telefones e nada é guardado. Para além disso, tudo é encriptado. O modelo respeita a privacidade das pessoas e é utilizado voluntariamente. Os dados são regularmente apagados e partimos do princípio que tudo será apagado no fim desta epidemia.”

Publicidade
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email
Share on pinterest

Outros Artigos