Um mecânico português tinha encontrado como resolver os seus problemas financeiros ao falsificar documentos administrativos de emigrantes com outras preocupações.

Ele falsificava os papeis dos emigrantes que tinham deixado passar o prazo para proceder à troca da carta de condução portuguesa contra o documento suíço. O homem tinha divulgado a sua habilidade na comunidade portuguesa na Suíça e várias pessoas iam ter com ele.

O emigrante, de cerca de trinta anos, utilizava as autorizações de estabelecimento ou documentos de residência e modificava nomeadamente a data de entrada na Suíça. Ele conseguiu também transformar a sua autorização de estabelecimento provisório em uma licença de residência.

Depois, ele preenchia os pedidos de troca da carta de condução no Departamento dos automóveis e da navegação do Cantão de Vaud (SAN).

Este tráfico que aconteceu entre 2013 e 2016 deu entre 500 e 3000 CHF de lucro, por cada carta de condução obtida, ao emigrante.

A justiça só conseguiu identificar quatro casos. O homem foi condenado a 180 dias de multa por falsificação de documentos e obtenção fraudulenta de carta de condução. Ele terá ainda que pagar uma multa de 1400 CHF e 2800 CHF de gastos.