Português condenado a oito anos e meio de prisão por ter violado as filhas

Uma jovem portuguesa de 13 anos, juntamente com a sua irmã de 9 anos, saiu de Portugal, onde era maltratada pela mãe, para viver no Cantão do Valais (Suíça) com o seu pai.

No entanto, o pai não tardou a ter um comportamento ainda pior. Mal tinha chegado à Suíça, o homem levou a filha para cama, mostrou-lhe vídeos pornográficos e deu-lhe maconha. O emigrante português, pintor de profissão, tem 6 outros filhos mas perdeu o contacto com eles.

A sua filha considerou ter sido tratada, de 2011 até 2015, como um “sextoy” (brinquedo sexual). Foi o termo que ela usou, esta quarta-feira, em tribunal. Entre três e quatro vezes por semana, o homem obrigava a sua filha a vários actos de ordem sexual e sempre sem preservativo. A Procuradora considerou ter sido mais de cem vezes. Aterrorizada, a jovem nunca conseguiu se defender. O pai dizia-lhe: “É o nosso segredo. Se falas, vais perder a tua autorização de permanecer na Suíça e voltas para Portugal”.

Quando a jovem deixou o seu domicílio familiar, ela confessou-se ao seu namorado que denunciou os factos. Quando a mais velha das duas filhas saiu de casa, o homem escolheu a rapariga mais jovem como nova vítima. No entanto, ele não terá abusado tanto da mais jovem.

No relatório das autoridades é dada a informação que as duas tentaram suicidar-se por diversas vezes e ficaram marcadas para vida toda.

Em tribunal, o pai das duas raparigas defendeu-se dizendo: “Eu choro todas as noites na prisão. Estou arrependido. Não tenho explicações. Devia ser por causa do álcool e da maconha”. Detido desde fevereiro 2018, o emigrante português admitiu os factos antes de negar a frequência.

Publicidade

A Procuradora, Angélique Duay, sublinhou as declarações constantes e credíveis da principal vítima que estava separada do pai por toldos durante o processo. “O que um pai pode fazer de pior”, perguntou a Procuradora que pediu 12 anos de prisão.

Advogado do homem, Adv. Luc Del Rizzo, pedia “uma pena justa, mais moderada” e foi ouvido : o seu cliente foi condenado a 8 anos e meio de prisão. O português terá ainda que pagar uma indemnização 40.000 francos à filha.

Publicidade
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email
Share on pinterest

Outros Artigos