Português em fuga condenado a 28 meses de prisão

O “Tribunal de la Sarine” em Fribourg condenou um português a 28 mêses de prisão, com um ano em regime fechado, por ter feito 4 graves excessos de velocidade no outono 2015. O emigrante de 32 anos chegou à ir aos 200km/h na saída de Chénens (Fribourg).

O amador de automóveis tuning não estava presente no seu processo e as autoridades não sabem onde ele vive atualmente. O relatório vai ser transmitido ao sistema de procuras informatizadas (RIPOL) e a sua condenação lhe será notificada se um dia, ele tiver a infelicidade, de se cruzar com uma patrulha na estrada.

O Tribunal reconheceu uma grave violação qualificada das regras de circulação. Segundo as disposições da Via Secura, um condutor que está a mais de 140 km/h numa seção limitada a 80 é um motorista no senso penal do termo e incorre uma pena mínima de um ano de prisão. O Português também estava condenado por conduta de um veículo defeituoso. Ele tinha cometido as “suas proezas” na estrada com um carro muito modificado – nomeadamente com a instalação de um turbo não homologado – que nem podia ser registado.

Publicidade

O emigrante tinha se deixado ser filmado pelo passageiro enquanto ele atingia os 150, 200 e 180 km/h entre Chénens e Villaz-St-Pierre, e de seguida os 120 km/h na saída do parque de estacionamento do karting de Payerne. Foram achadas estas imagens, que facilitaram o trabalho da justiça, no telefone de um dos amigos dele, também grande amador de carros tuning e sócio de um grupo ativo de “tuning” na região de Estavayer-le-Lac. Este grupo era objeto de uma supervisão policial.

Os juízes não foram convencidos pelos argumentos da advogada do motorista que explicou na terça-feira que o velocímetro do carro do cliente dela estava defeituoso e que seus excessos de velocidade tinham sido em linhas direitas pouco frequentadas.

Publicidade
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email
Share on pinterest

Outros Artigos