Um homem de 74 anos foi transferido de avião para a Suíça, país em que nasceu, intubado devido a complicações da Covid-19. O homem foi internado no Hospital Agamenon Magalhães (HAM) em Recife (Brasil), com sintomas de doença crónica dos rins. No entanto, ele contraiu o novo coronavírus e a situação agravou-se.

A transferência para a Suíça ocorreu na noite da quinta-feira, dia 4 de Março, e foi confirmada pela família este sábado, dia 6 de Março).

“O meu pai sentiu-se mal, foi encaminhado para um posto de saúde e, lá, viram que a saturação de oxigênio dele estava baixa. Ele foi transferido para o hospital. Ele fez três testes à Covid-19 e deram todos negativos. Ele contraiu o novo coronavírus no hospital e, por isso, foi levado à Unidade de Cuidados Intensivos da Covid-19”, afirmou a filha do idoso em declarações à imprensa brasileira.

Doença renal crónica

No hospital, o idoso foi diagnosticado com uma doença renal crónica em nível 5, que é caracterizada por insuficiência renal clínica ou severa. O homem precisou de ser submetido a sessões de hemodiálise.

“Quando vi que ele teria que fazer hemodiálise, achei que seria melhor ele ser tratado no país de origem. Até porque não tinham encontrado uma cama para ele, devido à forte procura. Ele estava dormindo numa maca e sentia muitas dores. No próprio hospital, foi transferido para a emergência e ficou dois dias. Depois, encontraram uma cama para ele, mas eu já tinha acionado uma empresa suíça que faz resgate de pacientes em todo o mundo”, disse a filha do paciente.

REGA foi ao Brasil

O transporte foi feito pela REGA Swiss Air Ambulance, fundação suíça sem fins lucrativos. O avião saiu do Aeroporto de Gran Canária, nas Ilhas Canárias em Espanha. Foram mais de 16 horas de voo até ao Aeroporto do Recife. Depois, o avião voltou para a Europa com o paciente suíço.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES), responsável pelo hospital, afirmou que “ofertou a devida assistência ao paciente suíço” e que “a equipa médica da unidade auxiliou no que foi necessário para viabilizar a transferência do homem, que tinha quadro estável e diagnóstico positivo para a Covid-19”.

Paciente internado em Lugano (TI)

“Os médicos diziam que ele era um paciente tão delicado que seria complicado transferir de um hospital para outro, o que dirá entre países. Mas deu tudo certo e ele já está em um hospital na cidade de Lugano (Tessino) na Suíça. A cardiologista e o doutor falavam inglês e comunicavam com a REGA frequentemente sobre o estado de saúde do meu pai”, afirmou ainda a filha do paciente.