Nos últimos dias temos recebido muitas perguntas sobre a possiblidade de ir às compras, ao dentista ou passear em França. As perguntas surgem desde que o Presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou o confinamento em França a partir desta sexta-feira, dia 30 de Outubro. Após a publicação do decreto na quinta-feira, as administrações trabalharam sobre o assunto e esclareceram as regras. Num comunicado de imprensa, a prefeitura da Haute-Savoie afirmou que os trabalhadores fronteiriços poderão continuar a viajar para o seu local de trabalho.

Como as fronteiras permanecem abertas, os residentes suíços estarão sujeitos às mesmas regras que os residentes franceses uma vez em território francês: o certificado será obrigatório para todos. Assim, se as actividades de lazer não forem possíveis, ou num raio de um quilómetro no máximo, é possível viajar para fins profissionais ou de formação.

O mesmo se aplica à compra de bens de primeira necessidade, consultas ou cuidados que não podem ser realizados à distância e à compra de medicamentos. Os suíços também podem viajar para França por razões familiares urgentes, para cuidar de crianças ou para ajudar pessoas vulneráveis e precárias. As citações dos tribunais ou da administração são também uma razão válida para viajar. Por outro lado, não está autorizado a ir para a residência secundária.

No entanto, tanto os franceses como os estrangeiros devem ser portadores de um certificado devidamente preenchido, sob pena de multa.

 •  Atestado em versão numérica

Atestado em versão papel (PDF)