O Ministério dos Negócios Estrangeiros diz que o Governo está a trabalhar “afincadamente” para que os emigrantes portugueses e luso-descendentes possam voltar a Portugal no verão.

Ao contrário do que aconteceu na Páscoa, altura em que o Governo pediu para os emigrantes não virem a Portugal, esta terça-feira, em audição parlamentar, Augusto Santos Silva explicou que estão a trabalhar para conseguir essa liberdade de circulação.

“No que depender de nós, essa possibilidade, esse regresso dessas visitas está garantido”, disse Santos Silva, acrescentando que a presença dos emigrantes em Portugal “é um direito deles e será uma contribuição muito importante para o reanimar todo o nosso território, seja do ponto de vista económico, seja do ponto de vista social e cultural”.

No entanto, ressalvou o governante, para que essas viagens possam acontecer é preciso que sejam suspensas as restrições de circulação.

“É preciso trabalharmos em conjunto com os outros estados-membros da União Europeia para que as restrições que hoje existem na circulação no espaço Schengen possam ser levantadas até ao verão. É nisso que trabalhamos”, rematou.

Durante esta audição parlamentar, o ministro dos Negócios Estrangeiros informou ainda os deputados que, dos cerca de 5.500 pedidos de repatriamento a Portugal, durante a pandemia de Covid-19, ainda há cerca de 600 portugueses por regressar.