O corpo de João Azevedo, de 29 anos, que há uma semana foi assassinado em Morges (VD), foi este sábado sepultado no cemitério de Real, em Amarante.


Apesar das medidas impostas pelas Direção-Geral da Saúde (DGS) e da chuva que esta tarde de sábado se abateu sobre o Baixo Tâmega, foram muitos os conterrâneos que participaram nas cerimónias fúnebres de João Pedro da Silva Azevedo.


O corpo chegou, por volta das 8 horas da manhã, ao aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto. À sua espera estava um carro fúnebre que o transportou para a capela mortuária de Real, onde foi velado durante a manhã. Ao meio da tarde realizaram-se as cerimónias fúnebres.


O funeral realizou-se sob uma enorme comoção dos presentes que, em silêncio, se despediram do jovem. O corpo foi sepultado em jazigo familiar, no cemitério de Real localizado paredes meias com o campo de futebol da terra, onde João Azevedo chegou a alinhar com a camisola do Atlético Clube de Vila Meã.


Em lágrimas e sempre amparada pelo marido, Rosa Silva, despediu-se do João: “O meu filho que nunca mais voltarei a ver”, disse a progenitora em voz sofrida ao Jornal de Notícias.


Vila Meã, 19/09/2020 - Funeral de João Pedro da Silva Azevedo, emigrante português morto à facad na Suíça. Missa do corpo presente foi na igreja do Real, seguida do funeral no cemitério da Vila.

Vila Meã, 19/09/2020 – Funeral de João Pedro da Silva Azevedo. (Amin Chaar / Global Imagens)