Mais de 52.000 francos de subsídios de desemprego foram recebidos de forma indevida por uma família portuguesa no cantão do Valais (VS). A informação foi divulgada pelo jornal “Le Nouvelliste” que dá conta da burla protagonizada por um emigrante na reforma e o seu filho. O reformado português foi condenado a 80 dias de multa com uma pena suspensa e a uma multa de 500 francos. O homem montou uma burla para favorecer o seu filho sem emprego.

O emigrante trabalhou numa empresa de construção civil no Valais até 2016. Anteriormente, o seu filho trabalhou na mesma firma antes de ser despedido.

No entanto, a folha de salário era preenchida pelo filho no final de cada mês. O jovem colocava o seu nome completo. Como o nome de família é o mesmo, o serviço de vigilância do departamento de contabilidade não notou a falsificação.

Quando o pai reformou-se, o filho inscreveu-se no desemprego para obter subsídios ao apresesentar as fichas com o seu próprio nome. Esta burla permitiu receber 52.000 francos de forma ilegal antes de ser apanhado

O julgamento do filho será em breve e deverá reembolsar o fundo de desemprego que tinha apresentado uma queixa.