Pela primeira vez, um gato deu positivo para coronavírus no laboratório veterinário da Faculdade Vetsuisse da Universidade de Zurique. Mas os gatos, tal como os cães, “muito provavelmente” não desempenham qualquer papel na propagação do vírus.

Não há qualquer indicação de que estes animais de estimação representem um risco de infecção para os seres humanos, informou na quinta-feira o Departamento Federal de Segurança Alimentar e Assuntos Veterinários (FOSV). No caso do novo coronavírus, a transmissão de humano para humano é “decisiva”.

O gato deu positivo à Covid-19 porque vivia com uma pessoa que também foi teststa positiva, de acordo com o FOSV. Foi examinado como parte de um projecto de investigação. Casos isolados e semelhantes têm sido relatados em todo o mundo.

O risco de os animais de estimação serem infectados com o coronavírus é considerado mínimo, mas não deve ser excluído, escreve a FOSV. Normalmente não é necessário examinar os gatos.

Contudo, é recomendado que as pessoas infectadas observem boas práticas de higiene com os seus gatos, tais como evitar o contacto próximo, lavar as mãos regularmente, e limpar frequentemente a tigela do animal. Aesinfecção ou mascaramento dos animais é expressamente desencorajado “em nome do bem-estar animal”.