Portuguesa “ressuscitou” mortos para desviar dinheiro

Jovem portuguesa condenada por abuso de confiança e falsificação de documentos. Com várias técnicas, a jovem consegui desviar 40.000 francos à burguesia.

O direito à burguesia é uma tradição em Sion (VS) que permite a cada membro da burguesia obter uma indemnização anual de 100 francos. Se ela não for reclamada, o membro pode pedir 200 francos no ano seguinte. Empregada na gestão deste direito, uma aprendiz portuguesa aproveitou para enriquecer-se. Quando um membro vinha recuperar os seus 100 francos para 2018 e assinava no registo, a jovem adicionava a menção “17” à frente de “18” e guardava para ela os 100 francos adicionais.

Depois, para obter ainda mais dinheiro, a jovem efetuou falsas prestações para os anos 2018 e 2019a favor de burgueses já falecidos, mas ele fez-os “ressuscitar” na sua contabilidade.

Publicidade

Finalmente, a jovem até criou falsos burgueses para recuperar os 100 francos anuais no lugar deles. Estas três estratégias valeram um desvio de cerca de 40.000 francos.

O mais surpreendente é que ela foi apanhada após alguém – ela jura não ser ela – ter roubado 10.000 francos na caixa. Essa quantia levou à abertura de uma investigação. Julgado por abuso de confiança e falsificação de documentos, a jovem foi condenada a 90 dias de multa com pena suspensa e 500 francos de multa.

Publicidade
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email
Share on pinterest

Outros Artigos