Um emigrante português que agrediu um polícia em Charrat (Valais), em 2017, foi condenado a dois anos de prisão efetiva, segundo notíciou o jornal Le Nouvelliste.

Depois de cumprir a pena, o homem, que foi condenado por ofensa à integridade física grave, na forma tentada, e ofensa simples consumada, será ainda expulso da Suíça, onde não poderá entrar por um período de cinco anos.

Acontecimentos

No incidente, que aconteceu em 2017 em Charrat, o homem acabou atingido a tiro numa perna. O agente da polícia argumentou que atirou em legitima defesa quando o português lançou uma pedra de 1,7 kg na sua direção, após confrontos físicos.

O polícia procedia à sua identificação quando o emigrante procurava entrar na casa da ex-mulher, de que estava proibido de se aproximar por decisão judicial devido a violência doméstica.

Julgamento

O julgamento iniciou-se em abril, com o português a pedir uma indemnização ao agente que o atingiu. No entanto, o tribunal decidiu de forma diferente, considerando que o polícia agiu de forma legítima e condenou o emigrante a dois anos de prisão e a uma multa de três mil francos suíços.

O emigrante, que foi detido após a sentença por haver perigo de fuga e para o filho e para a ex-mulher, ambos vítimas de violência doméstica, apresentou recurso da sentença. O advogado do português, Luís Neves, tinha garantido que ia recorrer.

Confirmação

Esta semana, viu o tribunal de segunda instância confirmar-lhe a pena e a expulsão do país. No entanto, a multa foi reduzida de três mil para 500 francos.