Quatro detidos após o jogo do FC Porto na Suíça

A reviravolta (1-2) operada pelo FC Porto enervou a claque dos Young Boys, ao ponto de terem arremessado objetos para o relvado. A “chuva” apanhou Pepe, que até exibiu isqueiros para o árbitro e a bancada.

A agitação no banco, quando a equipa portista defendia a vantagem, motivou a expulsão de Vítor Bruno, adjunto de Sérgio Conceição. O momento irritou ainda mais os adeptos suíços e o adjunto portista teve de recolher ao balneário protegido por guardas-chuvas para não ser atingido por objetos.

A frustração dos adeptos do Young Boys continou após o final da partida no exterior do estádio. Provocações e confrontos entre os adeptos dos dois clubes motivaram a intervenção da polícia do Cantão de Berna. As autoridades detiveram três pessoas.

Um outro homem foi detido após tentar ultrapassar uma barreira e agredir um agente da autoridade. As quatro pessoas acabaram por ser levados ao quartel. No entanto, a polícia não revelou a identidade ou a nacionalidade dos indivíduos.

A polícia informou também que a marcha dos adeptos portistas em direcção ao estádio realizou-se sem qualquer incidente. Só houve alguns petardos e fumos.

Pós-jogo da primeira mão também aqueceu o ambiente

Publicidade

No final do jogo da primeira mão, o jornalista luso-suíço da RTS, David Lemos, acusou o líder dos Super Dragões, Fernando Madureira, de ter tratado de “macaco” um jogador dos Young Boys na conversão de uma grande penalidade.

A partir daí, David Lemos recebeu várias ameaças sobretudo pelo facto de ser um adepto do Benfica tal como ele já o confessou num programa da televisão portuguesa (RTP). A UEFA não viu qualquer acto racista tendo em conta que “Macaco” é a alcunha do líder da claque azul e branca. O caso acabou por ser arquivado.

Publicidade
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email
Share on pinterest

Outros Artigos