Referendo: vacas com ou sem cornos?

Os suíços vão decidir em referendo, no próximo domingo (25 de novembro 2018), o futuro das vacas do país. Os suíços vão votar se devem garantir subsídios aos agricultores que deixam os cornos das suas vacas e cabras crescer de forma natural, em vez de os retirar.

As vacas são um dos símbolos associados à Suíça, mas são cada vez mais raras aquelas que têm cornos. O governo suíço diz que são 25%, mas os proponentes do referendo argumentam que são apenas 10%. A realidade contrasta com as imagens dos cartazes publicitários, folhetos turísticos e chocolates, que mostram vacas com cornos.

O debate tem-se concentrado, sobretudo, na questão do bem-estar do animal: não apenas na questão específica da remoção dos cornos, mas também as condições em que o gado é mantido.

Armin Capaul

Armin Capaul de 66 anos realizou um pequeno milagre da democracia direta e conseguiu, praticamente sozinho, recolher as 100 mil assinaturas necessárias para lançar uma iniciativa popular. Ele financiou o projeto com uma parcela de seu fundo de pensão, com doações de pessoas físicas, a Associação de Proteção dos Animais de Zurique e do Banque communautaire libre (banco sem fins lucrativos, que trabalha com base no pensamento antroposófico, prezando o cooperativismo).

“Devemos respeitar as vacas como elas são. Deixem-nas com os cornos. Quando olhamos para elas, erguem a cabeça e ficam orgulhosas. Quando tiramos os cornos, são infelizes”, diz o agricultor à agência Reuters.

Armin Capaul argumenta, ainda, que os cornos ajudam as vacas a comunicar e a regular a temperatura corporal e pretende a atribuição de um subsídio anual de 190 francos suíços (cerca de 167 euros) por cada animal que seja mantido com cornos.

Opiniões

O governo suíço estima que teria que destinar até 30 milhões de francos do orçamento da agricultura para este subsídio e, por isso, opõe-se à proposta.

Publicidade

Os críticos argumentam que é uma procedimento doloroso e contrário à Natureza. Os proponentes do referendo dizem mesmo que mais de 20% dos bezerros sofrem de dor por um período prolongado.

Já os apoiantes da remoção dos cornos comparam a prática à castração de cães e gatos. O governo suíço diz que os gastos com a medida são demasiado pesados. Alguns agricultores também preferem que as vacas e cabras fiquem sem cornos, porque se podem magoar umas às outras e aos humanos.

Publicidade
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email
Share on pinterest

Outros Artigos